Brasil - Política










Porque ler Romance também é conhecer um pouco de cada cantinho do mundo, entender um pouco sobre a sociedade em que se formalizou nossos antepassados, como a economia surgiu e como a política se estendeu nas grandes diversidades de um todo.
Um país estabilizado se dispõe de vários setores para a engrenagem movimentar começando por dentro dos mares. Antigamente, conhecido como os navios mercantes, para abastecer as grandes cidades. Foram com as importações e exportações de mercadorias e enormes quantidades de ferro que o Brasil iniciou as corporações. Mas, mesmo no período regencial nossa Nação precisava de apoio externo e com a biomassa foi se ramificando.
A questão sociopolítica depende em ambas as partes de ética, valorização de produtos industrializados dentro de nosso país, infraestrutura, administração eficiente entre outras formalidades importantes. É claro, que depende de uma população saudável e não só no corpo, mas, na mente. Não adiantaria equilibrar a balança de nosso setor judiciário com uma geração doente, em termos intelectuais. Uma geração saudável requer apoio, e isso, refiro muitas vezes, em questões sensacionalistas.
Devemos deixar um pouco o sensacionalismo e publicar artigos de verdade, sem querer ofender nenhuma classe social, mas, no século em que já estamos, deveríamos ser mais conscientes. Muitas famílias dependem de um auxílio do governo para o sustento de sua casa. Porém, não tem apoio educativo de que outra gestação em questão resultaria numa vida miserável.
Sou contra o aborto, mas, sou a favor da prevenção.
Em relação aos bélicos e marciais desse país que veio desde o povo indígena. Eles usavam os recursos da terra para sobreviver e se adaptavam aos diversos desenvolvimentos de seus derivados. Pois, a cana-de-açúcar, o milho e o café foram pioneiros na grande matização.
Sempre é bom lembrar que num mundo competitivo o Brasil foi e sempre será guerreiro. Não adianta tentar martirizar a nossa pátria sem recorrer aos nossos antepassados que lutaram e fizeram a diferença. Existe uma grande diferença entre liderar e lidar. Ambas, exige de seu manipulador uma maestria. A enorme diferença é que liderar essa Nação exige mais eficácia e jogo de cintura, enquanto lidar eu costumo dizer, é ver as estatísticas e ignora-la por completo. 
Se permitir dentro de um mundo político não é fácil para ninguém, nem para os que estão sobre a soberania da jurisdição.
Por outro lado, do lado grosso e inajustável, calculando todas as dívidas e acenando pelo lado positivo, de nada funcionará se nas leis constitucionais não iniciar pelo lado pobre da história.
Do que adiantaria servir com classe, da mais fina gastronomia, aos menos favorecidos de cultura?
Apoiar a educação, é sujeitar ao futuro um lugar mais nobre de se viver.
De nada vai servir entrar e sair político do mais alto nível, se as classes menos intelectuais estiverem crescendo de forma exorbitante.
Todas a manivelas se movimentam se todo equipamento estiver funcionando adequadamente.
A questão de dizer com tanta veemência na forma intelectual, se diz respeito ao conservacionalismo de apoio aos menos favorecidos monetariamente, somos um país livre, portanto, o livre arbítrio também levam à loucura.
Pois, por mais que os anos passam eu consigo enxergar um breve prelúdio do ano de 1900. As dívidas sendo adiadas, para sanear um movimento econômico elástico. Se irá funcionar, ainda não saberemos porque adiar dívida é deixar uma ferida aberta.
Por outro lado, uma instabilidade econômica gera cicatrizes profundas no setor terciário sendo a maior base que sustenta o enorme volante da Nação.
Pois, as classes trabalhistas tendem a melhoria de uma sociedade equilibrada e para isso, todos precisam estar juntos.
Entretanto, sempre digo, salvar uma vida é dá-la uma chance da dignidade de pensar com clareza, prevenir a instabilidade das próximas gerações para que possam usufruir de uma vida mais digna em todos os aspectos e setores da sociedade. Para que tenham oportunidade de ingressar nas escolas e terminarem seus anos letivos. Pois, a taxa de analfabetização ainda permanece em nível alto para uma geração tão tecnológica.
São fatos arbitrários, e isso, não daria uma receita válida para nenhum prato de entrada.
São questões que vejo passar como Lidadores, temas que deixam de se interessar.

Como seria um futuro tecnológico com uma geração despreparada?




Comentários

Mensagens populares deste blogue

Poesia Além do Tempo