Poesia Além do Amor





... As flechas atravessavam sua carne
 Enquanto ouvia um som perturbador de dores 
Que se misturavam com os sons metálicos das espadas;
Seus tridentes, zuniam incessante. 
Algo dentro dele o cortava tão profundamente 
Que pôde sentir com exatidão a fenda que se abria dentro de sua alma 
Que separava tudo que mais amava 
Pelas glórias aventurescas de um clã rebelado. 
O brasão perdido era um dogma para as batalhas 
Preso por sua ambição compreendia 
O quanto lutou e trucidou almas desprovidas por sua extrema ambição
Agora, elucidado acima de tudo, 
Viu que o objetivo maior entre tantas outras; 
Era apenas a forma mais simples de compreender
O fatal inimigo invisível mais poderoso, o amor.  
Por esta afeição enérgica muitos clãs aniquilados 
Por esta ação benfeitora,
Perdiam os seus melhores soldados 
Porque no final de tudo, 
Quando encontravam-se com a dama negra eram aniquilados. 
O autopensamento, uma forma aniquiladora do mal 
Que pesava suas atitudes e muitas vezes, eram pegos por seus autosacrifícios.
Uma arma influente para a passagem. 
E isto, o libertou.
Liberou de suas façanhas malévolas 
Para se unir a um mundo soberano, 
Onde suas ações seriam compensa-los 
Por suas verdades mais arrebatadoras 
E da-los o que um dia os tomou. 
A confiança.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Poesia Além do Tempo