Novidade Filosófica!

Lua Negra - A Lua Serpentária

 

Lua Negra — A Lua Serpentária

A Ordem 5,77.5



Um contorno entre as apóstrofes celestes; 29,53085106382979.

Os perímetros usados dentro de sua raiz e multiplicado pelo código do zodíaco equivale seu lugar de origem, nesse ambiente relativo alterna em sua linha visionária de tempo as formas de luz e sombra, criando a sua orbita por frações nas sombras e abrindo as inclinações às suas fases. Mediante, a sua distância, ângulo e grau. Orbitando sob a atmosfera nas mesmas proporções de tempo na qual o homem carrega em sua medula.

A força antes que ordenou as 13 lunações e ondas sobre as marés, alternam em vivas e mortas, em relação as 11 principais especificidade de posições entre 3 pontos, terra, lua, sol e em oposição, lua terra, sol. Essa alternância e repetição que atua sobre o campo gravitacional gera a vida. Onde a designação das ondas longas e curtas conserva as proporções fotorreceptoras. Todo o trabalho do 9 e 7 no macrocosmo se repete ao microcosmo, e vice-versa.

Inicia-se então, a chave em sigízia, em conjunção, a união das forças, forma a quadratura e parte de volta à união. Aplicando as 3 forças e alternando em movimentos e períodos na medida da lei 9.

A serpente de fogo etérea gera subdivisões dentro do tempo de 13 lunações declinando em elíptica, como as bases da charneira côncava, do efeito espelho, onde se reduz a uma lente mais fina ao meio e mais grossa em sua borda, onde o observador se vê unido entre as linhas dessas 2 curvas.

Seguindo o mesmo raciocínio de declínio, plano e espaço tempo, a molécula do tempo que viaja sob as forças dos gases de hélio, a eletricidade natural e que emergido entre as teias de vênus cria as suas quatro pujante fases celestes.

Sob um lado da serpente mantém as forças similares das colmeias, de outro; equivale-se a força Nervina, tal coeficiente é gerado o valor do hidrogênio, a força supressora de ondas elétricas, o combustível que alimenta a seiva energética de ambos. Usando a medida de tempo; essa força elétrica se altera, a gravidade em ondas acionadas pelo calor, o que torna as superfícies nos planos de luz e sombras. Essa curvatura no espaço tempo define as quatro fases relativas na lua movendo as forças que o pai tempo trabalha sobre a raiz 1, a unidade.

Sobretudo, todo o grau é trabalhado sobre a força do 3 e do 6 em seu lado Leste e o 9 ao Norte, onde em 66 mil curvas revelam a unidade da mecânica celeste. Sua inércia e seu sistema de conservação linear.

Do seu raio expande os movimentos angulares, deslocam e criam a velocidade constante dentro do tempo de onda solar semianual, considerado longo período, onde o seu coeficiente é multiplicado pelas horas de 4383 e dividido por 12. Suas horas de ondas se dá ao meio de ano terrestre e dividido novamente por seu eixo e multiplicado por 10, soma-se o dígito perfeito, 577.095. Ocultamente, guarda o seu real valor nessa conjectura.

Já que, as horas de maior onda e longa define simbolicamente os dias terrestres da força da primeira fração de tempo. E, multiplicado por essa fração teosófica, divido por 12 completa a porção lunar em 29,53085106382979 de tempo milimetrados em nosso espaço tempo. Essa porção torna-se a excentricidade de 0,0549 em seu ângulo, o que por vezes, denota o distanciamento da lua e a aproximação em nosso fotorreceptores. Sua obliquidade trabalha nas mesmas proporções da nossa visão.

Em termos de ar e água.

O que torna a receptividade do homem em ver a mecânica celeste trabalhar o 3 e o 6 na curvatura do próprio ângulo. Seus raios sequenciais angulares formam as bases de vida e morte nas ondas serpentinas dos oceanos e profundamente criam as forças mais severas no núcleo, voltando-se em oposição ao raio, de onde tudo flui. Como uma haste invisível segurasse o sol, a terra, a lua e vênus. Pois, as fibras mesenquimais de vênus orbitam as 6 mil faces da lua e nas sombras dela mortifica e vivifica, como a célula que causa a sua própria morte para então, dividir-se. Todo o trabalho por trás do véu inicia e termina para sempre assegurar o seu mistério. Sua obra e assinatura, por onde permeia a matéria pura. Sua lei é a ressonância, onde cria as vibrações, tais vibrações resultam nos campos de processamentos, quando conectado a esse campo, constitui-se as bases primárias, onde tudo tinha se iniciado.

A chave das marés vivas e mortas, cada qual em seu tempo de horas, seus componentes que vão e atingem as influências de vênus.

Regida na milésima fração de tempo, seguidos de 3 profundos ângulos e imergidos na posição 0,113, exerce a força do sol. Posição de ângulo devido, o que torna a força termodinâmica reconstituída da ação direta e reflexa do sol e que ilumina as 6 mil partes de ঘন্টার da lua, essas porções reconstroem o germe primitivo, mas também o devora a cada mil anos e mais seis partes delimita sua orla. Divide nações, afunda outras, separa continentes, alça o necessário para manter suas bases de vida como o nosso DNA determinante.

Seu atraso diário em se manter 12 pontos atrás do sol serpenteia as 12 constelações celestes, mas recuado forja seu escudo onde cada grau é mantido em níveis de planos secundários, 3 e 6. Na obliquidade cria a lasca visível, a noumenia e dela gera as primeiras 19 partes da milésima porção que o homem em sua fonte fotorreceptora consegue observar. Essas porções denomina uma parte de 29 dias e 53 porções. Fenda que costurada entre os tempos equivale seus anos de conclusão e reposição.

Se unida ao 3 e 6 e multiplicado cria simbolicamente, os ácidos altamente organizados dentro do espaço tempo. Os acerbos de ebulição que se iguala às pressões e que por meio dessas pressões metanoicas formam novamente os gases. Todo o inverso do tempo trabalhado é o Uverso de dentro.



TEXTO COM ©DIREITOS PRESERVADOS – ORIGINAL: CLAUDIANNE DIAZ
LUA  NEGRA - A LUA SERPENTÁRIA

Mensagens populares deste blogue

Terracota - OS SERES ORIGINÁRIOS

Terracota - A BIOLOGIA SISTÊMICA

Terracota - AS SETE CAVIDADES