A Face Escura da Deusa




 CLUBE DE AUTORES


CATARINA DE SAMO JÁ HAVIA ATRAVESSADO O PENÚLTIMO RIO, BASTAVA SE BANHAR NO NONO RIO PARA QUE AS SUAS LEMBRANÇAS FOSSEM LAVADAS DE SUA ALMA.

ELA SE VÊ PERDIDA ENTRE O LIMBO, MAS SEU INSTINTO A DIZ QUE AINDA HAVIA UM ÍTEM A SER REVISADO NO PLANO FÍSICO.

A CADA CAMADA CONSCIENTE, ELA VAGA EM MUNDOS DIFERENTES E GAIA A MOSTRA O SEU PLANO DE TRAGÁ-LA, MESMO NA ESCURIDÃO DE SUA ALMA, NO APODRECIMENTO DE SUA CARNE, ELA O ENCERA DE FANTASIA E ESPERANÇA, NA QUAL A TRANSFORMA NUMA ALMA ITINERANTE E POR REPETIDAS VEZES, ATÉ COMPREENDER ONDE ESTÁ.

O TEMPO É SEU ALIADO E O SEU MODO DE JULGAMENTO A CONDENA NO MAIS PROFUNDO ABISMO DE MEDO E HORROR. DETERMINADA EM SUA JORNADA ELA SE MANTÉM EM SILÊNCIO.

CALADA CONSEGUE IMERGIR-SE NA PAZ QUE PRECISA PARA AGARRAR NO ÚNICO ELO DO CORDÃO EMBRIONÁRIO DA GRANDE MÃE.

ENTENDE O PROFUNDO AMOR DE GAIA ENVOLVENDO-A EM SEU SEIO, NO PROFUNDO E GÉLIDO COLO DE MÃE NA QUAL ABRIGARIA-A ATÉ O SEU RETORNO. MAS, ELA TEIMOSAMENTE VAI E VOLTA, E, PERMANECE DISTANTE DAS DUAS REALIDADES. — SERÁ QUE ELA COMPREENDERÁ A ARRISCADA JORNADA ENTRE OS MUNDOS? — ELA SABERÁ SE LIBERTAR DA SAUDADE QUE TEM DA SUA CASA E DO INSTINTO QUE CARREGA? PARA ENTÃO MERGULHAR NO MUNDO ETÉREO DE GAIA?


Texto com ©DIREITOS AUTORAIS

Comentários

Ouça também!

Nas Mãos do Alquimista