Novidade Filosófica!

Lua Negra - A Lua Serpentária

Imagem
  Lua Negra — A Lua Serpentária A Ordem 5,77.5 Um contorno entre as apóstrofes celestes; 29,53085106382979. Os perímetros usados dentro de sua raiz e multiplicado pelo código do zodíaco equivale seu lugar de origem, nesse ambiente relativo alterna em sua linha visionária de tempo as formas de luz e sombra, criando a sua orbita por frações nas sombras e abrindo as inclinações às suas fases. Mediante, a sua distância, ângulo e grau. Orbitando sob a atmosfera nas mesmas proporções de tempo na qual o homem carrega em sua medula. A força antes que ordenou as 13 lunações e ondas sobre as marés, alternam em vivas e mortas, em relação as 11 principais especificidade de posições entre 3 pontos, terra, lua, sol e em oposição, lua terra, sol. Essa alternância e repetição que atua sobre o campo gravitacional gera a vida. Onde a designação das ondas longas e curtas conserva as proporções fotorreceptoras. Todo o trabalho do 9 e 7 no macrocosmo se repete ao microcosmo, e vice-versa. Inicia-se então,

Terracota - O SANGUE - A PROGÊNIE DA PRECESSÃO



Terracota — O Sangue — A PROGÊNIE DA

PRECESSÃO


Norte, Sul, Leste, Oeste.

Meridionais, boreais; a jornada ulterior vibrante transformada por originalidade, hematose. O código descendente desenvolvido para gerar a fonte.

Fluviais, profundas e ulteriores jorram para as cavidades mais densas, mantendo a obra e a percepção do Oeste-Leste, Leste-Oeste. As precessões que determinam os impulsos das marés, acolchoando e recolhendo das suas vibrações por inibições e dilatações. A quantidade e a qualidade do 9 e do 7.

A qualidade; o atributo do algoritmo 9 e 7 em relação com a jornada das profundezas das veias mais fundas e estreitas se fundem e se compactam as camadas de movimentos e se irradiam por gases de oxigênio carregando em unidades definidas aos órgãos. Em completude dos gases que formam essa espiral descendente mergulhadas em ferro criam laços segregados de íons potentes e nutre.

Relativamente aos oceanos que denominam as suas fontes em canais que alimentam e registram os caminhos hadeanos, onde o homem já conseguiu mesclar entre tempos os éons mais primitivos, nas subdivisões de tempo que o levou tão pragmáticos. Sendo o próprio tempo, o espaço que o ser respira e que o próprio ar os motivara a criar e compreender a sua origem.

Na precessão de rotação e nos movimentos das marés lunares o tempo espaço decorre como os canais de água e sangue, a progênie das sucessões, o fiar da vida e do destino; a rotação dos elementares trabalha em completude com as vertentes processadoras das informações centrais e que se unem e complexam as suas neutralidades de Norte-Sul, Oeste-Leste.

As percepções sacras do homem em valores planetárias, onde ocorre as subdivisões de éons geológicos; isto é, os elementos que o homem e o universo sempre em fusão participam. Pacífico, atlântico, índico, antártico e ártico.

A progênie está entre o limiar do homem e nas rachaduras dos oceanos, onde o asceta, a origem primitiva entre os mares e os limites dos universos, presta a ascendência cósmica, a ligadura atmosférica ou interplanetária à divindade. O caminho mergulhante do sangue, transformando os gases pobres em oxigênio por qualidade a sustentação dinâmica do homem, proveniente da sua base primitiva e inteligente, para se reordenar aos órgãos os nutrientes necessários para um bom funcionamento. Mediante aos gases capazes de serem transformados, a água mantém as mesmas proporções de nutrientes para formar a base terrestre digna de habitar. Desse modo, o eixo que vibra causa as precessões rudimentares entre espaços e pausas através de dias solares.

O reverso do tempo.

O grau onze em formalidade com o homem nas dimensões da diástole.

Porque o tempo é a ponte que o homem conhece, o espaço é onde ele vive e por existência cria o éon. A força cognitiva da água e do sangue. O caminho virtuoso das marés em precessão, das marés lunares e que elas mantêm em suas profundezas, a força reservada em 3 e 6, na simplificação de seu código; as vibrações mais fortes que sacodem os outros níveis de oceanos, intensificando o genoma de sua espécie e que mantém o equilíbrio. Esses impulsos são as bases que tão fervorosamente elas são capazes para gerar mais pressão e reativar as moléculas de hidrogênio, o elemento primordial e que são levados pela densidade do ar e se solidificam em outras camadas.

Entretanto, a temperatura, o grau e a densidade devem caminhar juntas, para a harmonia tão complexa e rica que cada porção do mundo varia termodinamicamente. Tudo é fusão; cais, ferro, hélio, hidrogênio, oxigênio, níquel; o que os torna em equidade subtraindo das suas raízes, são as separações de suas fontes; mas eliminando em porções significativas as partes necessárias dos alicerces, esses baldrames que suportam, em fusão com o coeficiente errado, destroem.

 

Estais prontos para se reintegrar numa nova condição humana?



TEXTO COM ©DIREITOS PRESERVADOS – ORIGINAL: CLAUDIANNE DIAZ
TERRACOTA – O SANGUE - A PROGÊNIE DA PRECESSÃO

Mensagens populares deste blogue

Terracota - OS SERES ORIGINÁRIOS

Terracota - A BIOLOGIA SISTÊMICA

Terracota - AS SETE CAVIDADES