A Deusa e o Guarda - Chuva de Ártemis



 

A DEUSA E O GUARDA – CHUVA DE ÁRTEMIS


A física iniciou-se a partir de quando a humanidade passou a analisar os efeitos naturais, porém, abandonou todo o esquema divino. Pois, a ciência pura em efeito ao eletromagnetismo pedia o intelecto do homem e a parte nobre dele para que ambos, os acoplassem. Como a direção do campo magnético, o imã.

Referencialmente, no campo da filosofia natural, onde a física despertara do sono dos homens à metafísica, esse nível de aprofundamento e exploração profunda da natureza acordara de repente, do sono ao desespero, de infiltrar os campos nas quais ele próprio se distancia.

De tempos em tempos o universo recria seus pensadores, e naquela época onde Platão e Aristóteles como os influentes por direcionar a luz aos olhos do resto da humanidade, apenas viram um reflexo que os direcionou aos fundamentos da emanação do que se pode lucrar. Nada é tão bélico quando não consegue medir, posicionar e replicar, na ênfase de criar um módulo na qual se é suportado para cópia e dela gerar o valor monetário da qual os homens fora da área de pensadores, mas capitalistas querem gerar.

Sob o véu de Ártemis, a missão na qual o homem prevê sua ida ao campo da radiação, obtendo a fórmula na qual a energia pode ser capturada do solo da lua. O homem também conta com os matemáticos, físicos, engenheiros, químicos e toda a disciplina acadêmica para levá-los em segurança.

Esse campo eletromagnético é uma área em que a mulher moderna e toda área de estudiosos do universo, nas quais contamos com a ajuda divina e jamais abandonamos o lado inimaginável de Deus. Sabemos, que milhares de físicos passou pela vida e deixou materiais significativos nesse campo, outros preferiram esconder, por receio de que fosse nocivo. Fica a incógnita, se eles conseguiram a fórmula dessas equações polarizadas em pilhas de teorias nas quais cada campo eletromagnético emite os seus valores exatos para a base inferior e se repetindo em valores fracionados de tempo.

A ideia de que a humanidade precisa compreender o valor do seu próximo, Tesla já entendia isso, como a elétrica causou uma transformação poderosa e profundamente aceitável, quando os números 3,6 e 9 foram capazes de criar o novo, assim dizendo, usar o codinome criação para a sua descoberta. Esses números em efeitos eletromagnetizados em equações circulares e retransmitindo os seus valores fracionado por ocasião de tempo, grau e densidade foram a base da sua descoberta, e por efeito de que o homem usou a sua ideia em transformar algo bom, deixou marcas em situações de risco também a humanidade.

O humanismo vem daqueles que enfrentam as suas adversidade, mas diante da prevaricação não refutam a ideia de que a sua criação seja algo a ser vendido pelo preço da vida.

Em situações nas quais esse campo da física é a minha paixão e cito Isaac Newton que uniu a física da terra e céu, e evoluiu de forma acelerada a gravitação universal, em fatos de que o que Deus doa jamais deve ser vendido, apenas explorado para a evolução do homem.

A representação de um vetor elétrico situa valores e esses valores emitem o seu tempo radioativo fracionado. Tudo medido, calculado e preciso. A carga elétrica resulta do valor subsequente e analisa o fator coadjuvante nas quais dentro do tempo fracionado há valores sub fracionados. Esses valores geram a energia que pulsa como o coração do universo. Dando a frequência radioativa vibratória em termos circulares. Precisamente, esses valores podem ser calculados em forma de polarização antideosil para retransmitir os dados bilaterais, de cima para baixo e de baixo para cima.

A ciência aponta o vácuo, como o espaço que não existe a matéria e dentro desse equivalente espaço há uma força que exerce todo campo como uma pulsação de recriação e replicação do anel de Ártemis desencadeando o fóton, a partícula mediadora do ponto do universo.

Dentro desse espectro há ondas sendo geradas por luz e força nas quais nós o conhecemos em parte por números, dadas que uma vez, a energia é movimento e frequência. Tudo é vida, tudo é matemática. É nela que o homem se conecta, se absorve, se submerge e se reorganiza. Em várias unidades de luz e onda esse esquema de cálculo é infinito. O desenvolvimento dessa longa equação é maravilhosa e nos causa uma força impactante profunda. Sabemos que o eletromagnetismo universal pode ser medido e calculado, mas esse campo é mortal.

O guarda – chuva de Ártemis em sua missão conta com a exploração futura no espaço abrindo portas na área da energia e devido o seu campo magnético, digo como o anel de força que protege a terra, essa experiência radioativa dentro e fora desse ambiente emite seus valores em micrograma. Cada ângulo de referência organiza a sua unidade em seu sistema. Mas, o diabo mora no detalhe, só seria possível iniciar o anel se conhecer sua linha de raciocínio universal, essa linha de valores é o ponto chave e como Tesla disse, a chave do universo. Esse valor é conduzido nas vibrações com um sistema moderador de impacto iniciativo. As conclusões de fora e cima para dentro e baixo módulo seria equivocada, mortal e ineficiente se a linha apropriada iniciativa não ser realmente a verdadeira chave. Ambas as forças estando no núcleo, a alavanca que move o universo é o ponto de partida, como o homem e o divino. A força que pulsa e repulsa.

A limalha do tempo é como a charada da raposa.

— Quer pegar a raposa? — Então, não corra, Terá que caçá-la para encontrá-la.

Para os viajantes do futuro, cabe nos acreditar que toda a área física comanda e domine as proporções em valores nas quais o anel de Ártemis o levará para uma exploração profunda no seu campo eletromagnético, nas camadas ionizantes de radiações, que serão irreversíveis a equipe. Causando lesões em tecidos, moléculas e no seu próprio DNA.

A ambição do homem em explorar o universo não tem limites. — E, desta vez, seria em benefício mesmo da humanidade? — Em dá-los um futuro na área da energia? — Ou apenas ganância entre países e lideranças?


Original: Claudianne Diaz
Texto com ©DIREITOS AUTORAIS

Leia também!

A Deusa e o Corpo Lúteo

A Deusa e a Nova Genoma

A Deusa e os Tributos de Leis

A Deusa e a Limalha do Tempo

A Deusa e a Ciranda de Energia